Problemas Sexuais

Livro: O Homem Integral – Série Psicológica

Maturidade Psicológica – Espírito Joana de Angelis (Médium Divaldo Pereira Franco)

Problemas Sexuais

A sexualidade como herança animal, é importante para a reprodução das espécies.

Tem muita relevância no comportamento dos seres.

Nos irracionais, nos quais o princípio inteligente ainda não é inteiramente desenvolvido, individualizado, funciona por impulsos orgânicos obedecendo aos ciclos para a reprodução, periódicos, sempre em ritmos equilibrados.

No homem, pelo uso que nem sempre obedece à perpetuação das formas, tem mais como objetivo a satisfação dos desejos, nem sempre correspondidos pela outra parte.

Dai surgirem agressões e desvios o que torna o sexo fator de desditas e problemas de variadas expressões.

O homem já desenvolveu o princípio inteligente que possibilita a ele pensar, sentir, discernir, direcionar suas escolhas para o bem ou para o mal.

O sexo no homem, de forma geral, é acompanhado da sensação de prazer que possibilita atrair os parceiros para a comunhão reprodutora. Tendo o prazer como sensação, nem sempre é prazeroso para o parceiro porque muitas das vezes gera conflitos.

Francisco Candido Xavier em Obra de André Luiz, fala que no ser humano as glândulas reprodutoras são meramente mecânicas obedecendo sempre aos desejos e impulsos do psiquismo do individuo.

Sabe-se que psiquismo representa o conjunto de fenômenos relativos a alma ou que lhe diz respeito.

É elaborado pelo princípio inteligente, pelo pensamento e sentimento individual de cada Ser, no decorrer das vivencias reencarnatórias.

É resultante das livres escolhas do ser humano, no campo das idéias e posturas individuais.

A individualidade do ser pensante – espírito é elaborada pela aprendizagem intelectual e moral de cada um, e, se expressa pelas tendências e aptidões de cada ser demonstradas nas vivencias reencarnatórias.

Vemos então que a diferença entre o impulso sexual do animal é instintiva sem direcionamento inteligente. Já no homem este instinto é submetido às escolhas, as sensações, ao prazer que leva o homem ou mulher ao direcionamento para o bem ou para o mal.

Podemos considerar então que o psiquismo elaborado de cada ser, e registrado no perispírito do homem é fator preponderante na realização do ato sexual.

O mal direcionamento psíquico do ser humano no ato sexual se transfere para futuras vivencias porque não é estruturado na disciplina do amor, do esclarecimento bem direcionado do que seja uma verdadeira união sexual homem- mulher.

Origina o mal uso do sexo, patologias de ordem psíquica que colaboram para a destruição da beleza do ato sexual, pautado no respeito mutuo, na atenção, no carinho, na satisfação dos parceiros.

É união sexual fragmentária que não obedece a união de almas.

Os vícios de ordem sexual, as patologias mentais e emocionais que causam nos parceiros, são de natureza hereditária cármica sendo os causadores de fatores desencadeantes das enfermidades que se revelam na distorção da libido que foi de muita importância nos estudos freudianos.

O conceito de que o homem é um animal sexual tem o seu exagero.

A herança atávica de reencarnações passadas, pode influir na força do instinto sobre a razão, o raciocínio o que leva o individuo a estados depressivos.

No entanto, o ser humano é um Ser espiritual em trilha evolutiva para o aprimoramento do amor ensinado por Jesus. Como sendo o amor muito importante para a felicidade do homem, para a expansão de sua afetividade em nível superior, ele indivíduo compreende que esta afetividade deve ser conquistada, vai compreendendo que não é importante só as sensações e emoções que motivam o ato sexual. Há algo que extrapola o mero desejo sexual.

O saudável relacionamento afetivo é bem mais difícil de ser conquistado do que momentos de explosão sexual instintivos, que na maioria das vezes por não serem embasados na afeição legítima geram frustração emocional.

Não bem estruturado no amor, os rápidos momentos de comunhão física, depois de realizados, manifestam insatisfação, arrependimento e conflitos emocionais perturbadores.

No passado cultural religioso o sexo em suas funções era mal compreendido, ignorava-se a sua função plenificadora, e com esta ótica deformada desnaturaram a sua função.

Em sentido oposto a excessiva castração do passado, a ignorância da função sexual abriu espaços no decorrer dos tempos para interpretações errôneas, levando o ato sexual à promiscuidade, desvalorizando a pessoa que se tornou objeto, instrumento de troca, em Ser descartável, fora de qualquer sentimento de respeito, consideração, dignidade.

A sociedade atual sofre os efeitos da liberação sem disciplina, através da qual a criatura vive a serviço do sexo e não para o ser inteligente que caminha para uma moralização dos sentimentos com finalidades definidas e tranquilizadoras, embasadas nos verdadeiros sentimentos de respeito, companheirismo, amor.

As aberrações sexuais que existem precisam ser trabalhadas em terapias bem direcionadas e tambem pelo conhecimento da postura moral cristã que leva o individuo à felicidade.

Discernimento, conhecimento das verdadeiras funções do ato sexual, à luz dos ensinamentos cristãos levarão o individuo a se conscientizar da responsabilidade e consequências funestas de práticas sexuais deturpadas, buscando só sensação e prazer transitórios.

Educação castradora assim como a excessiva liberdade é responsável por inúmeros conflitos, a educação liberativa abre portas para abusos injustificáveis com consequencias funestas no psiquismo do ser.

O Ser precisa compreender que tudo no processo de viver obedece à ordem onde quer que se manifeste. Quanto ao comportamento humano não há exceção. O uso indevido de qualquer função sempre produz distúrbios, desajustes, carências que somente pelo conhecimento e prática moral o homem consegue harmonizar.

O homem não é apenas um feixe de sensações, mas tambem de emoções, que pode e deve ser canalizada para objetivos bem delineados no bem. Este bom direcionamento o motivará a mais esforços que serão sempre compensados pelos benefícios que trazem.

Com as exceções feitas aos portadores de enfermidades mentais que se refletem na conduta sexual, que precisam ser urgentemente tratadas, o pensamento é sempre o fator que exerce uma grande influencia em qualquer função ou ação genésica.

Em outras manifestações de vida, as mais variadas, o pensamento aliado a emoção é sempre responsável pelas ações do Ser espírito.

Discernir, refletir, meditar e orar pelo auxilio espiritual, auxiliam ao bom direcionamento de pensamento e emoções.

A vida saudável na área do sexo, sempre decorre da educação mental, da canalização correta das energias, pois o pensamento é elaborado em campo de energia,sendo assim auxiliam ao ser humano a ação física, o trabalho de esporte, conversações edificantes posturas que oferecem resistência contra as más influencias de ordem mental e emocional.

O individuo assim procedendo estará apto a atitudes que proporcionam bem estar, onde quer que se encontrem.

O ser humano em processo de aprendizagem traz de vidas pregressas, frustrações que se acumulam às frustrações presentes gerando conflitos. O conflito necessita ser solucionado pela aceitação do fato, aceitação tranquila de postura mental que não se exaspera e não tenta resolver aquilo que não pode ser resolvido no momento. Posturas contrárias causam neuroses intermináveis. Neuroses que podem se transformar em paranóias catastróficas.

A função real e normal do sexo precisa ser estimulada pelo amor, pois proporciona elevadas expressões de beleza, harmonia, realização pessoal; acalma, encoraja para a vida tornando-se uma fonte geradora de alegrias.

Os problemas sexuais estão enraizados no espírito, que no comando do corpo físico exaure as glândulas genésicas que se exteriorizam em funções incorretas tornando-se psicopatologias graves que empurram a vítima para os abismos da sombra, da perversidade e do crime.

Liberar distonias sexuais, perturbam o Ser, envolvendo-o em sensações doentias crescentes. Em sua continuidade mergulha na promiscuidade, com desrespeito e desprezo por si mesmo e por extensão aos outros. Quem assim age adota uma ótica deformada pela qual passa a ver o mundo e as pessoas na condição de portadoras do seus mesmos problemas, só que mascarados ou suscetíveis de viverem aquela conduta quando não deseja impor a sua postura especial como regra geral para a sociedade.

Sob conflitos psicológicos, o portador do problema sexual ou de outra natureza, não se aceita, e nesta postura de não aceitação dissimula seu comportamento, ou quando se conscientiza desse comportamento resolve-se por assumi-lo adotando posturas chocantes, agressiva, como uma forma de enfrentar os demais, de forma anti natural, demonstrando que não o digeriu e não assimilou.

Toda exibição seja de qual ordem for oculta sempre um conflito de variadas etiologias, de sentimentos de timidez, de inconformação, de carência ou de incapacidade no campo emocional.

É importante uma terapia psicológica bem cuidada, criteriosa. Ao paciente é importante uma auto-análise, que possibilite a ele viver em harmonia com a sua realidade interna nem sempre compatível com a sua manifestação externa.

Não basta satisfazer o sexo, toda fome e sede saciadas de momento, retornam em ocasião própria. O importante é a harmonização interior emocional que leva o Ser a viver em paz com a consciência, embora com alguma fome ou desejo, que são perfeitamente suportáveis, ao invés do conflito constante da insatisfação que leva o ser espírito a imaginar prazeres contínuos e para isso elege companhias impossíveis e conseguidas aleatoriamente demonstrando com este comportamento a faixa sexual na qual estagia. Exemplo: seres que sofrem de compulsão sexual.

No mundo em que se vive com sua dinâmica natural de mudança constante não há ainda possibilidade de sentir-se pleno, pensando ter conseguido tudo que deseja.

Conquistar uma postura interna, calma, natural é importante para se conseguir um próximo patamar equilibrado que serve de estímulo para o progresso do individuo e da sociedade.

Os problemas sexuais precisam ser enfrentados sem hipocrisia, nem cinismo, sem adoção de falsos modelos moralizadores. Tambem não devem ser encarados como sem significação.

São dificuldades no campo dos conflitos individuais e por isto merecem consideração, tempo e terapias especializadas.

Therezinha Jordão 24/02/2015

Esta entrada foi publicada em Artigos, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *