Os Tormentos das Drogas

O século passado e o início deste século foram marcados por grande progresso tecnológico e científico que possibilitaram ao homem chegar à lua e a decifrar alguns segredos da natureza. Por certo, algumas leis, chamadas leis de Deus, até então, foram ignoradas. Por isso, se avançamos pelo aspecto intelectual e científico, muito pouco avançamos no aspecto moral que nada mais é, senão, que colocar os sentimentos, pensamentos e emoções superiores em todos os momentos da nossa vida.

     Ante uma sociedade dita civilizada, em que vivemos, encontramos nos dias  atuais o fantasma das drogas. Produzidas em laboratório ou em plantações nos  países da América Latina e da Ásia, elas matam pessoas, levando-as ao suicídio, homicídio, e a fortes atos de violência.

Segundo pesquisas feitas em 2001, nos Estados Unidos, publicadas na revista Superinteressante, editada no Brasil, verificamos o alto consumo de nicotina, heroína, cocaína, maconha, álcool e inalantes. Não se pode esquecer também os sedativos, estimulantes, analgésicos e tranquilizantes, que são vendidos nas farmácias e drogarias.

Na realidade usar drogas deve constituir um crime, por estes motivos:

1. Fazem mal à saúde. A maconha, por exemplo, provoca câncer; a cocaína aumenta as chances de isquemia e ataque cardíaco. Além disso, o uso de drogas reduz a auto-estima, e aumenta a chance de depressão e causa dependência. A cocaína, a heroína e a maconha causam vício de uso frequente. Estatísticas indicam que até 10% dos usuários de maconha ficam dependentes;

2. Incitam à violência. Na Holanda, 5000 dos 25.000 dependentes de drogas são responsáveis por cerca da metade dos crimes leves. Na Inglaterra eles respondem por 32% da atividade criminal. Quase todos os usuários de drogas pesadas já consumiram a maconha. O governo Americano diz que fumar maconha aumenta em 56% a chance de consumo de outra droga;

3. A Holanda liberou o uso de maconha e ela subiu em 400%;

4. As drogas causam prejuízo à sociedade. Pervertem quem as usa. O uso das drogas transforma pessoas produtivas em indolentes, responsáveis em inconseqüentes, cidadãos em párias. Por outro lado existe, ao mesmo tempo, uma forte corrente daqueles que acham que devem ser punidos apenas os traficantes, e os demais consumidores devem ser vistos como doentes necessitados de tratamentos médicos, especializados. Alguns países da Europa, já adotaram esta orientação. Não somos a favor da liberação da drogas.

Mas, existem outros fatores negativos que interferem nas vidas das pessoas que usam, habitualmente, as drogas. É a chamada obsessão espiritual, a influência dos Espíritos desencarnados que se afina com os usuários e naqueles produzem uma forte alteração de comportamento, realizada sempre pela sintonia mental e pelas vibrações idênticas. Estes Espíritos, muito atrasados, sugam as energias dos seres encarnados, realizando, assim, um processo de vampirização espiritual. Por analogia, percebam quando vemos em um filme onde o vampiro sugando o sangue de uma pessoa. O Espírito desencarnado suga as energias magnéticas, psíquicas e físicas, levando ao suicídio lento e gradual das forças do viciado. Por causa disso o recém desencarnado penetra no mundo Espiritual e descobre que se tornou instrumento de espíritos inferiores. Daí decorre muitos sofrimentos.

Recentemente, o Espírito Benfeitor Joanna de Ângelis ditou ao Médium Espírita Divaldo Pereira Franco uma mensagem esclarecendo que, quando uma pessoa se droga com frequência, desbloqueia seu inconsciente trazendo à tona a personalidade que viveu em outra existência. Nesses casos, sempre é de um espírito mais atrasado, podendo, assim, viver situações da vida passada na vida atual, transformando o ser em um autômato.  Desta forma, fica mais fácil ficar ao sabor de Espíritos mais agressivos, razão pela qual, vemos, atualmente, tantos crimes violentos envolvendo assassinatos entre pais e filhos, por exemplo.

Somente com uma educação voltada para o Espírito humano centrada nos valores da família, na educação dos sentimentos, na transformação dos instintos agressivos para os valores das emoções superiores e com o conhecimento da vida Espiritual, podemos explicar a influência dos Espíritos em nossas vidas, como muito bem ensina o Espiritismo. Finalmente, podemos eliminar  as drogas que tem produzido tantas amarguras nos dias atuais e construiremos, desta maneira, uma sociedade mais feliz.

João Batista Cabral – Presidente da ADE-SE.

redeamigoespirita.com.br

Esta entrada foi publicada em Artigos, Ciência, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *