A dor que leva ao Amor

     Oh vida boa!!!…Isso era o que eu achava, bebida, mulheres, dinheiro. Isso para mim era vida, a arrogância brotava dos meus poros e o desrespeito pelos meus pais era ainda maior. Advogado recém-formado me achava a última bolacha do pacote, como dizem por ai, mas isso logo iria mudar. Um dia me aprontava para sair com amigos, minha casa continha duas garagens, uma reta e outra com uma rampa bem íngreme, não sei o que passou pela minha cabeça de sair com o carro que já estava guardado, então retirei o carro que iria sair e fui guardar o outro, mas esqueci de um detalhe, o freio de mão baixo, sai do carro e fui fechar o portão, foi quando ouvi um grito da minha mãe…”Filho o carro está descendo!”…

Foi quando em um impulso olhei para trás, e em um reflexo segurei no aerofólio traseiro do carro, para ele não passar por cima de mim, isso somente aliviou o impacto, tudo ocorreu rápido, mas muito doloroso, pois senti no momento a pancada na minha bacia que se repartiu em vários pedaços, e devido a pressão e o peso do veículo pressionou minha bexiga que estava cheia e se rasgou, juntamente com o fígado, apêndice e outros. Minha sorte foi que com a pancada o portão desmontou e o carro atravessou a rua comigo grudado nele, que chegando ao meio fio, e com o impacto  abrupto e forte me jogou contra o muro da frente, que se arrebentou caindo em cima de mim.

Por incrível que pareça eu não desmaiei, sentia todas as dores infames, sentia que algo dentro de mim se arrebentara, e gritava muito e muito, não me esqueço daquela dor sobre-humana.

O atendimento foi rápido, logo que levado ao hospital, fui enviado para o centro cirúrgico, onde rapidamente fui sedado, e adormeci esquecendo por um instante aquela dor agonizante. Então acordei, mas algo estava errado, eu me vi deitado na maca cirúrgica e comecei a gritar, pois vi os médicos me cortando de cima a baixo, gritei e gritei o mais alto que pude, mas ninguém me ouvia, o desespero aumentava, foi quando a minha frente se abriu um túnel luminoso que me sugou para dentro, então perdi novamente os sentidos, e acordei, em uma espécie de hospital, e pasmem o meu avô já falecido segurava minha mão, não entendia mais nada, bom pensei…..“estou morto”.

Com o tempo me acostumei, me recuperei, e me adaptei àquela cidade espiritual, onde Deus estava presente em todo lugar, fui para casa do meu avô Raimundo e reencontrei parentes e amigos que nem conhecia, aprendi muito, estudei, fui a palestras, relembrei do meu destino na terra, bom, estava achando tudo belo e maravilhoso.

Foi quando depois de um ano um dos bem feitores chegou até mim, e disse que teria que voltar, então eu perguntei…..”Mas como voltar?!, não estou morto?!….perguntava eu sem entender nada…e ele respondeu….”Não minha criança, você só está num estado de coma, para se recuperar do trauma e foi trazido aqui para se relembrar da tua verdadeira tarefa na terra, o acidente foi necessário, mas veja”,… então uma tela se abriu a minha frente foi quando me vi deitado na cama do hospital, mostrou-me minha mãe, e familiares, como estavam sofrendo, eu não queria voltar, mas quando vi aquilo, vi o quanto egoísta estava sendo……Então me despedi de todos, e voltei novamente, meio sem entender nada.

Acordei e vi-me entubado, como se tivesse saído de um longo sonho, e me deparei com uma bela moça de longos cabelos vermelhos, com sardas que contornavam seu rosto, e grandes olhos azuis, vestindo uma roupa levemente branca, e me chamava pelo nome, e me falava palavras de conforto, pensei comigo, “Que Médica, ou enfermeira, o que tem de bonita, tem em gentileza”…. Revi meus pais, amigos, e perguntei para as enfermeiras quanto tempo estivera em coma, e elas me disseram, quatro dias, então pensei…..”Mas como?!

Se ficara um ano lá onde estava, seria tudo um belo sonho”?!…. Chegando o dia da alta médica, perguntei a uma enfermeira, onde estava aquela médica ruiva, que sempre me visitava, foi quando espantosamente ela disse que não havia nenhuma médica ou enfermeira com aquela descrição, pensei mais uma vez, estou ficando louco, seria imaginação àquela bela figura angelical.

Bom, já em casa eu e minha família, lutávamos para me recuperar do acidente, recebi muitas orações e visitas de todos, e isso me ajudou e muito, pois Graças a Deus saí dele sem nenhuma sequela. Mas a noite algo estranho aconteceu, acordei no meio da noite com alguns barulhos e quando abri os olhos, havia mais de 30 pessoas no meu quarto, como era possível?!, somente eu os via e ouvia, isso se repetiu durante vários dias seguidos, e eu nada falava, com medo ser mandado para um sanatório, pois pra mim eu estava completamente louco.

O tempo passava e as visões pioravam, até tal ponto de não saber o que era visão e realidade, via e ouvia de tudo, pessoas sem membros, faltando partes do corpo que viam ao meu encontro, estava totalmente perdido e sozinho naquela situação.

Precisava de ajuda foi quando comecei a pesquisar, e resolvi procurar uma terapeuta holística, e logo na primeira consulta foi-me recomendado fazer uma terapia de regressão, foi quando na segunda sessão no processo de indução hipnótica, me vi novamente fora do corpo, como naquele dia da minha cirurgia, e então novamente o túnel se abriu e fui puxado, indo parar no mesmo lugar onde estive no coma, lá vi uma linda praça e sentei-me em um banco para apreciar, e reparei que uma pessoa vinha ao meu encontro, e abismado vi que esta, era aquela mesma bela ruiva que me recepcionara no hospital, sentou-se do meu lado, e falou-me,

“Oi Léo, deve está sem entender muita coisa, bom eu sou o que você pode chamar de seu anjo da guarda, guia espiritual, amigo espiritual, mas se quiser pode chamar-me simplesmente de Paula, estou contigo desde que nasceu, mas somente depois do choque que sofreu, pode sentir a minha presença, e agora te guiarei em uma jornada que fará, entender tudo que esta acontecendo contigo”…, então ela pegou minha mãe e flutuamos até outro túnel que se abriu, fui em 5 existências passadas onde eu e ela convivemos, como pai e filha, marido e mulher, irmãos, vi que também meus pais e alguns amigos presentes também conviveram comigo.

Entendi muito do que estava acontecendo, desde então ela sempre falava comigo, me ajudando e guiando em tudo.

Tudo se tornou mais fácil, com a ajuda de Paula, mas as visões continuavam a me atormentar, e ainda estava fora de controle, então ela me aconselhou a procurar ajuda espiritual, perguntei á ela onde?? , mas ela simplesmente me respondeu….”Procure e acharás”….

Como eu era católico , procurei me confessar, onde o padre disse que era apenas coisa da minha mente, passou algumas penitencias, como 100 Pai Nossos, mas nada resolveu, então fui há um centro de Umbanda, perplexo de medo, pois havia dentro de mim um Pré-conceito, e lá conversei com um médium que disse que eu também era um Médium, mas como não me dei por satisfeito, resolvi procurar um Centro espirita, desta vez Kardecista, então falei com um Clarividente que de cara já me disse: “Filho, isto que está acontecendo contigo se chama mediunidade, e uma vez aflorada, tem que se educar e estudar para poder controla-la”… ,

Ele me explicou que  teria que renunciar muita coisa e usá-la para ajudar o próximo, e podia ser na minha religião Católica, ou em qualquer outra que me sentisse bem, desde que a utilizasse com muito amor e muita responsabilidade.

Recebi um convite daquele senhor para estudar sobre a doutrina espírita, e entender o que estava acontecendo comigo, também continuei frequentando minha religião Católica, mas com o tempo me apaixonei pela doutrina, e vi que tinha nascido para ser espírita. Depois de um tempo fui educando minha mediunidade e outros focos foram aparecendo, como a psicofonia e agora mais recentemente a psicografia.

E hoje meus queridos irmãos, mudei, mudei muito e tento a cada dia me tornar um ser humano melhor, pois hoje sei realmente o que significa o que Cristo falou: “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado”. Concluindo não sei se estou louco, mas quero viver até o fim dos meus dias aqui na terra esta doce loucura, que me ensinou que colhemos o que plantamos e que amar é não esperar nada em troca. Descobri tudo isto pela DOR, mas vocês ainda tem Tempo de descobrir através do AMOR.

Que Deus continue sempre iluminando nossos caminhos.

Anápolis, 29 de junho de 2014.

Aleandro Ferreira.

redeamigoespirita

Esta entrada foi publicada em Artigos, Ciência, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *