HÓSPEDE INVÍSIVEL, OUVINTE SILENCIOSO

HÓSPEDE INVÍSIVEL, OUVINTE SILENCIOSO

Orson Peter Carrara

A expressão acima está numa frase que se completa com outras diretrizes, que apresento mais adiante. Ela foi elaborada pelo casal Peixotinho, que teve um número grande de filhos e ao mesmo tempo acolhia pessoas, com necessidades variadas, em sua própria casa, inclusive para pernoite e alimentação. Quem nos contou a história foi uma das filhas, Alcione Peixoto, numa entrevista que nos concedeu.

A frase completa também está no livro “Histórias reais do Lar de Peixotinho”, e na residência do casal era sempre observada pelos filhos, à hora das refeições, na moldura colocada na parede, o que naturalmente lhes marcou a memória para sempre. Sem dúvida um convite para evitar-se a maledicência e as reclamações, tão comuns nas mesas brasileiras, às refeições.

A frase completa é: Cristo é o chefe desta casa, hóspede invisível em cada refeição e ouvinte silencioso em cada conversação. Pensar e refletir sobre a grandeza da frase significa proteção da estrutura física da moradia pela casa mental dos residentes. Exatamente pelo poder do pensamento.

Pensando na própria vida e seus desdobramentos tão intensos e variados, é o caso de sempre pensarmos como usamos o horário (e outros, é claro) das refeições, considerando a grandeza da presença, proteção e amorosidade daquele que é luz do mundo!

Orson Peter Carrara

Postado por 

Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Espiritismo, Sexualidade, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta