TRATAMENTO DA SAÚDE MENTAL – EVOLUÇÃO

TRATAMENTO DA SAÚDE MENTAL – EVOLUÇÃO

Benedita Fernandes – Mensagem e notas

Postado por Grupo de Est. Esp. Chico Xavier 

Benedita Fernandes – Mensagem e notas

De: Cândido (1)

“Caros irmãos Roberto e Luiz Cláudio, (2)

Em razão de termos sido agraciados pela presença dessa entidade Benedita Fernandes, que esteve conosco na viagem às cidades de Minas Gerais, principalmente na cidade de Capelinha e ontem em visita ao CEFCX deixou sua mensagem pelas mãos do médium Hélio Ribeiro, fiz uma pesquisa e encontrei sua história narrada no site do Hospital Espírita da cidade de Araçatuba, SP que foi por ela fundado quando esteve reencarnada aqui na Terra. Vejam o texto abaixo colacionado. À irmã Benedita Fernandes a nossa gratidão!”

“Filhos queridos. Deus em nós! Viemos com o coração em festa participar desse banquete de luz. Trouxemos muitos enfermos para o tratamento que hoje aqui foi disponibilizado, sob o comando do Dr. Guilherme March. Trouxemos os empedernidos no mal, para serem tratados pelos acordes benfazejos que aqui são gerados. Os celerados mentais que aqui se encontram em dezenas, pois serão despertados pela onda de paz que aqui se origina. Todos somos beneficiados com esta tarefa de tratamento de enfermos da alma que aqui foram acomodados desde quarta-feira passada.(3)

Deus seja louvado!

Jesus nos abençoe abundantemente!

Benedita Fernandes.

(Psicografia de Hélio Ribeiro Loureiro no Centro Espírita Francisco Cândido Xavier, em Itatiaia-RJ, oportunidade da visita da Caravana Chico Xavier4, e durante palestra da convidada Célia Maria Rey de Carvalho5, no dia 20/11/2016)

 

Histórico da Entidade

Benedita Fernandes, nasceu aos 27 de Junho de 1883, na cidade de Campos Novos da Cunha, SP, sendo filha natural de Maria Josefa Nascimento. Era viúva e possuía uma filha de nome ignorado. Portadora de “doença mental” perambulou pelas cidades da região noroeste do Estado de São Paulo, até fixar-se na cidade de Penápolis-SP, por volta do ano de l920, e em razão das “fortes crises” e na falta de manicômio, foi entregue aos cuidados da Polícia Civil, passando a morar na Cadeia.

Nessa época, depois de uma crise muito forte, ouviu uma voz: “Benedita, se promete consagrar-te inteiramente, aos enfermos e pobres, sairás curada daqui”.

Livre do mal que a perturbava, veio para Araçatuba, e contando com a ajuda de pessoas pobres e humildes- algumas lavadeiras- “levantou casas de madeira para atender crianças e obsediados”.

Aos 06 de Março do ano de 1932, nas dependências do Centro Espírita Paz, amor e Caridade, no bairro Santana, na cidade de Araçatuba-SP, aconteceu à fundação da “ASSOCIAÇÃO DAS SENHORAS CRISTÃS’, cuja primeira Diretoria ficou assim constituída”:

PRESIDENTE: BENEDITA FERNANDES

SECRETÁRIO: MANOEL GONÇALVES

TESOUREIRO: MARIA BOGALHO GONÇALVES.

Estavam presentes ao ato, entre outros, Dr. Jovelino Camargo, André Risolia, José Ramos da Silva, João Teixeira, Gedeão Fernandes de Miranda, Francisco Chinaglia, Eugênia de Amorim, Rosalia Martins, Florentino Blanco e José Maximiliano.

A Associação contava com a ‘CASA DA CRIANÇA’ e o ‘ASILO Dr. JAIME DE OLIVEIRA’, este para atendimento de doentes mentais.

Em 0l de Novembro de l933, foi inaugurado o prédio próprio da “Associação das Senhoras Cristãs”, à Rua Newton Prado nº 178, atendendo de início, crianças necessitadas e a doentes mentais.

Dinâmica, Benedita Fernandes, ampliou o seu trabalho de assistência aos pobres, inaugurando em l9.04.l943, o “ALBERGUE NOTURNO DR PLÁCIDO ROCHA’. Logo depois surgiu a ‘ ESCOLA MISTA DO ABRIGO JOÃO DE DEUS” e a ‘ESCOLA DR. VALADÃO FURQUIM’. A essa época, contava com a colaboração, também da dona Judith Machareth, na qualidade de professora.

Para levar adiante tais empreendimentos, Benedita Fernandes recorria à sociedade Araçatubense, além de autoridades Regionais, visto que gozava de grandes prestígios e respeito.

Dentre seus admiradores, incluíam-se Fernando Costa e Adhemar de Barros, Governadores do Estado de São Paulo.

Benedita Fernandes faleceu às 01h30min horas de 09.10.l947, vitima de colapso cardíaco, na sede da Associação por ela criada. Em razão de seu desencarne, foi substituído na presidência da Associação pela Sra. Maria Bogalho Gonçalves.

Após seu falecimento, o Asilo Dr. Jaime de Oliveira transformou-se no Sanatório “BENEDITA FERNANDES, em uma justa homenagem a sua fundadora. Hoje é conhecido por HOSPITAL BENEDITA FERNANDES, cuidando de doentes mentais e toxicômanos, em convênio com o SUS, dispondo de 150 leitos e outros 10 apartamentos particulares e para convênios médicos.

Atualmente a Instituição possui uma equipe especializada de funcionários, nas mais variadas áreas da saúde mental totalizando 109 funcionários.

Conta com a colaboração de uma equipe de VOLUNTÁRIOS para eventos beneficentes e para atendimentos aos pacientes, na parte musical, entretenimento, combate ao alcoolismo (AAA), etc.

Dentre os pacientes, muitos, cerca de 40 são moradores, alguns com mais de 20 anos na Instituição. Recentemente foi inaugurada uma casa, denominada “CASA DO ABRIGADO”, separada , em terreno junto ao Hospital, construída com recursos obtidos pelos Voluntários, para 04 moradoras, já em situação de reintegração social.

Em meados de 1985,um grupo de espíritas, vindo de diversas Casas Espíritas, iniciaram aulas e evangelização a pacientes e aberto ao público. Passado alguns anos, resolveu-se separar os trabalhos, ou seja, começou-se a fazer das 19 às 20 horas, explanação evangélica aos pacientes e a partir das 20 hora, estudo sobre o Livro dos Espíritas, por módulos para o público e colaboradores. Anos depois ficou difícil a participação dos colaboradores e o estudo foi paralisado, ficando apenas os trabalhos para os pacientes.

Aos 29 de Abril de l997, como Departamento da Associação das Senhoras Cristãs, foi reinaugurado os trabalhos Espíritas,para o público e colaboradores, com um grupo de pessoas coordenados pelo Dr. Luiz Carlos Barros Costa, então Delegado Regional de Polícia de nossa cidade, grupo este que passou a denominar-se ‘ NÚCLEO DE ESTUDOS E ASSISTÊNCIA ESPÍRITA BENEDITA FERNANDES’, com reuniões às Segundas-Feiras, para estudo do Livro dos Espíritos e as quintas-feiras, para estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo, conforme será informado nos itens abaixo.

O Centro Espírita onde se reuniu Benedita Fernandes, para a fundação da Associação das Senhoras Cristãs, não tem o local conhecido, embora algumas pesquisas já realizadas neste sentido. Acreditamos que seria em alguma casa de familiares residente no bairro.

Os dados acima são extraídos do livro “A Dama da Caridade” de Cesar Perri de Carvalho. (6)

Após sua morte, o sanatório continuou sua meta – assistência ao portador de transtorno mental – e veio acompanhando as mudanças ocorridas na área de saúde mental.

Em sua homenagem o Sanatório passou a ser denominado de “SANATÓRIO BENEDITA FERNANDES”, ATUALMENTE O HOSPITAL BENEDITA FERNANDES.

A saúde Mental, desde o fim do século XVIII vem questionando a forma de tratamento, começando a abordar de forma mais específica e adequada do ponto de vista médico, a doença e o doente.

A psiquiatria que surge no século XIX tem seu principal espaço no hospital psiquiátrico. Por cerca de 100 anos a internação hospitalar acompanhada posteriormente de tratamento farmacológico, sustentou o atendimento ao doente mental no Brasil. A mentalidade da época era de vigiar os internos, segregando-os à internação.

Na década de 60, meados do século XX, começa-se a questionar esta mentalidade, despertando o pensamento para se investir mais no atendimento ao doente mental em regime ambulatorial. A ênfase passa a ser a ação preventiva e multidisciplinar , ocorre uma aproximação da psiquiatria com outras áreas como a psicologia, serviço social e terapia ocupacional. Cada vez mais se passa a usar o termo Saúde Mental nas propostas de trabalho.

As questões de saúde mental são reflexos da política vigente do país; na década de 70 a política de saúde adotada era a hospitalização que no caso da saúde mental se trata da internação asilar. Já na década de 80 inicia-se o movimento anti-manicomial lutando por uma psiquiatria sem hospício, visando uma revolução nos atendimentos dispensados ao doente mental e priorizando o tratamento extra hospitalar.

O tratamento nos hospitais assume um caráter humanizado, visando à remissão breve dos sintomas e reintegração do doente mental no seu meio social.

Atualmente a política que direciona o atendimento à Saúde Mental no país, proíbe a construção de novos hospitais psiquiátricos, prioriza menor permanência no hospital em prol do tratamento ambulatorial e valoriza a humanização dos hospitais.

O Hospital Benedita Fernandes acompanhou todos esses momentos sempre se adequando às mudanças; hoje, visamos um atendimento humanizado desenvolvendo ações que propiciem a melhora do usuário, a tomada de consciência em relação à patologia bem como sua reintegração social, para que assim, continue seu tratamento nos serviços extra hospitalar oferecidos pelo município.

Notas:

1) José Cândido Francisco, de Resende (RJ);

2) E-mail enviado a Roberto Fonseca, dirigente do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier, de Itatiaia (RJ);

3) Refere-se a reunião do Centro, em que há atuação de Benedita.

4) Caravana promovida pelo Instituto Espírita Bezerra de Menezes, de Niterói, e coordenada por Hélio Ribeiro Loureiro.

5) Célia é originária do movimento espírita de Araçatuba; membro do GEECX-DF e ex-diretora da FEB.

6) Livro editado pela UME de Araçatuba em 1982 e reeditado pela Radhu em 1987.

Rede Amigo Espírita

Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Dependência Química, Espiritismo, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *