Não Deixe Ninguém Apagar a sua Luz

Não Deixe Ninguém Apagar a sua Luz

Alamar Régis de Carvalho  (São Paulo–SP)

 Muitas moças, jovens, fecham-se para a vida, abandonam os seus talentos, deixam o trabalho, param de estudar e se privam de tudo, por causa de exigências de namorados.

            Mulheres, diversas e inúmeras, contadas aos milhões, também fecham-se totalmente e despem-se da própria personalidade, por causa de exigências de maridos insensíveis, que só conseguem assimilar o ser humano do sexo feminino como objeto masculino, empregada doméstica que deve tratar da sua alimentação, da lavagem de roupas, do comando do fogão e da faxina doméstica, restringindo a sua vida às quatro paredes do lar… ou melhor, da casa onde moram, longe de ser um Lar.

Homens bons se vêem obrigados a romperem com velhas e sinceras amizades, principalmente quando do sexo feminino, para se submeterem ao desequilíbrio emocional de namoradas e esposas, perturbadas pela lamentável doença do ciúme, fazendo-o objeto seu, uma coisa sua, um robô comandado pelo seu controle remoto.

Muitas mães vivem angustiadas, sem direito ao laser, a qualquer conforto e até ao direito de abrirem a boca para falar alguma coisa, para satisfazerem aos incontroláveis desejos de filhos insensíveis, frios e indiferentes em relação a elas, que as tratam de forma grosseira, estúpida e mal educada, concebendo-as nas limitações de uma empregada doméstica que tem que preparar a sua comida na hora certa, lavar e passar as suas roupas, catar os seus tênis e roupas sujas espalhadas pelos cantos da casa e suportar os seus chiliques.

Muitos pais sofrem também pela indiferença de esposas e filhos que os vêem apenas como o cofre da família, sem lembrarem no dia-a-dia que ele existe, sem um gesto de carinho, afeto e muito menos qualquer relação de amizade, a não ser nos momentos em que estão precisando de dinheiro para alguma coisa.

Muitas mulheres se conformam em ter a saúde sua e dos seus filhos afetadas pelas nicotinas incontroláveis de maridos que fumam sem o menor escrúpulo, indiferentes às conseqüências danosas do tabagismo fumado indiretamente por pessoas inocentes que nada tem a ver com um vício tão danoso.

Pessoas outras, que se deixam levar por lavagens cerebrais promovidas por rotulações de líderes religiosos, anulam-se para a vida, proíbem-se do laser, da alegria e do divertimento em geral, sem o direito ao menos de darem um sorriso e se vestirem como gostam, para atenderem conveniências igrejeiras.

Por que essas coisas acontecem? Por que há tanta gente manipulando tanta gente?

Por que ainda há quem se permite ser fantoche dos outros e marionete das conveniências e dos desequilíbrios de perturbados?

Creio que você, que está lendo este manifesto, não sofra de situações como estas, mas deve conhecer alguém, talvez muito próximo de você, que esteja inserido e um destes casos.

Na luta da exploração humana pelos próprios humanos, devemos estar atentos e procurarmos dar um “basta!!!”, imediatamente, para situações como estas.

Ninguém tem o direito de manipular ninguém!!!

Ninguém torna-se humilde, bom e quite com Jesus ou com qualquer ser espiritual por ser masoquista, se deixando explorar e muito menos dominar por mentes doentias e dominadoras.

Qualquer orientação que alguém queira lhe dar, pedindo paciência, tolerância e conformação com pessoas ciumentas, violentas, agressivas, possessivas, frias, insensíveis e desumanas que lhe fazem mal, mesmo sendo da própria família, que lhe agridem sem parar e que lhe anulam pela vida, não pode ser considerada como orientação sensata e sim como uma forma para manter-lhe sobrevivendo em um esgoto. Tudo tem limites!

Todas as tentativas para ajudar uma pessoa a libertar-se de vícios, de manias, de ciúmes, chantagens e instintos violentos ou imorais são válidas e devem ser feitas, sempre, o máximo que lhe for possível, recorrendo a todas as opções que estiverem ao seu alcance. Mas quando você percebe que a pessoa perturbada não faz o menor esforço em se libertar das suas más tendências, não quer se modificar e, muito pelo contrário, ainda debocha da sua cara, mantendo-lhe sob o seu domínio e conforme as suas conveniências, não tenha a menor dúvida de que o melhor remédio é o que se pode chamar de “pé na bunda”, com um sonoro e enérgico BASTA!!!

Se a sua capacidade física é de suportar apenas cinqüenta quilos, por exemplo, não tente cometer a loucura de querer suportar, sobre você, pesos de duzentos quilos, apenas para dar satisfação à sociedade e muito menos a parentes, que você se esmaga.

Muitos se suicidam ou são vitimadas por infartos ou outros acidentes corporais que lhes levam à morte, por não suportarem as pressões, as chantagens e a exploração de outras pessoas, temerosas de darem o grito de liberdade, com receio da língua dos outros.

Não sejamos escravos de ninguém. Não deixemos que a demagogia direcione a nossa vida, nunca.

Mulheres que já são casadas ou vivem, mesmo fora do casamento, há muito tempo com verdadeiros animais ciumentos incontroláveis e que só lhe causam desgostos, aborrecimentos e infelicidades nas suas vidas, estão em tempo, sim, de dar o seu grito de liberdade, apesar de imaginarem, equivocadamente, o tal “ruim com ele, pior sem ele”. Conversa fiada, não existe nada pior do que uma vida de interminável humilhação, chantagem, frieza e indiferença.

O mesmo se aplica a homens casados com jararacas venenosas, que fazem das suas vidas o que querem. Libertem-se!!! Mulheres possessivas é uma praga, é um inferno na vida de qualquer homem.

Jovens, adolescentes, pelo amor de Deus não cometam a burrice de iniciarem namoros com pessoas ciumentas! O ciúme é a pior praga que existe em um ser humano que pretende associar-se com outro. É certeza de brigas, desentendimentos e infelicidade constante. Não vá na conversa de alguns que dizem a certos casais de namorados que quando casarem a coisa melhora, que não é verdade. Muito pelo contrário, a tendência é somente piorar, já que ciúme nunca foi tempero do amor e sim a pimenta malagueta da relação humana, que gera a desconfiança, a cobrança, o desconforto, o mal estar, o patrulhamento, a insegurança, as brigas constantes, a inconveniência, a agressão aos próprios amigos, a exposição ao ridículo, os ferimentos morais e físicos e até  tragédias extremamente dolorosas.

Por mais que os olhos sejam belos, conforme a sua exigência, os cabelos bonitos, pernas grossas, seios atraentes, bunda grande e todos os atrativos materiais conforme os sonhos daqueles que só conseguem avaliar a qualidade das pessoas pelos seus dotes físicos, caia fora, ao constatar o instinto ciumento, em benefício da sua própria felicidade.

Em vez de medir as criaturas dos pés à cabeça, como fazem as pessoas comuns, procure medi-las da cabeça para cima, como fazem as pessoas elevadas, porque só assim terá condições de avaliar os verdadeiros valores e afinidades que garantem uma relação mais estável, amável, agradável, saudável e durável.

Não deixe que ninguém apague a sua luz!!!

Se você sonha em fazer uma faculdade, vá fazer a sua faculdade, porque os desejos que têm que prevalecer são os seus. Não permita a interferência de ninguém.

Se você quer seguir a música, o direito, a medicina, o comércio, a agricultura… ou seja lá o que for, consulte com cuidado, paciência, sensatez, critério e responsabilidade o seu próprio coração,  faça o que ele determinar e não tema a língua dos outros.

Lembre-se de um detalhe muito importante: Quando Jesus recomendou o “Ame ao vosso próximo”, ele deixou bem claro o “como a si mesmo”. Quem não é capaz de amar a si mesmo, obviamente não tem condições de amar ninguém, porque ninguém dá o que não tem.

Nada de acharmos que amando a nós mesmos estamos sendo egoístas, porque não estamos. O que não é recomendável e constitui-se, de fato, em egoísmo é amarmos apenas e somente a nós mesmos, o que é totalmente diferente.

Não sejamos escravos do falso moralismo, do moralismo de moda, de região, de época e de conveniências, porque isto só causa sofrimento. Consultemos a nossa consciência, onde está escrita a verdadeira Lei de Deus, e vivamos conforme uma moral autêntica.

Masoquismo não cai bem em pessoas sensatas e racionais.

Vamos à luta e

Não deixemos que ninguém apague a nossa luz.

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *