MATÉRIA MENTAL E NÍVEL EVOLUTIVO

MATÉRIA MENTAL E NÍVEL EVOLUTIVO

Dr. Ricardo Di Bernardi

Nosso Universo é um todo de forças dinâmicas. André Luiz, na obra Mecanismos da Mediunidade (1), lembra-nos que o elétron é a expressão basilar de toda oscilação e de todo fluxo de energia que ocorre na dimensão física, isto é, em nosso universo material, o que inclui matéria de outras dimensões.

É, também, conhecimento dos estudiosos da fenomenologia espírita que a base fornecedora de toda matéria, e energia, existentes no Cosmo é o fluido universal, este seria o veículo para a expressão onipresente do “pensamento do criador” (2).

No macro e no microcosmo sempre ocorreram as manifestações do Amor Universal, que atua através das inteligências espirituais ou “Potências Angélicas”, mobilizadas para a organização de formas e de funções com variabilidade infinita.

Neste oceano de energia cósmica, navega a matéria mental humana, capaz de gerar formas-pensamento dotadas de fluido vital. Essas ideoplastias tem duração variável, conforme a persistência da onda mental que nós produzimos. Somos, por isto, cocriadores em plano menor.

A eletricidade e o magnetismo, derivações do fluido cósmico (universal), são constantemente modificadas e direcionadas pela matéria mental humana, ou seja, pelo nosso pensamento. O fluxo energético provindo do campo psíquico de cada Espírito encarnado ou desencarnado é muito individual, específico, mas, Dr. André Luiz ensina-nos que raios ultracurtos se projetam dos seres angélicos que são sábios, plenos de amor e inteligência, atuantes no micro e macrocosmo como representantes do Amor Universal –Deus, esses seres sábios geram condições adequadas para a expansão e sustentação da vida nas infinitas variações da natureza deste planeta, bem como nos demais astros do universo.

Nós, humanos terráqueos, emitimos matéria mental variável. Os corpúsculos mentais, que irradiamos, vibram em ondas curtas nos momentos de reflexão quando unimos sentimentos profundos e inteligência. Emanamos, outrossim, ondas médias nas aquisições de experiências e de conhecimentos, e, mais comumente, ondas longas, quando nos dedicamos às necessidades básicas de sustentação e manutenção da nossa existência física.

O homo sapiens, tanto aqui como no plano espiritual, esclarece-nos o eminente médico do plano extrafísico, expressa seu pensamento como onda, que, embora sutil, ainda é matéria. A onda do pensamento, emitida por nós, projeta-se em minúsculos corpúsculos mentais, terminologia utilizada por André Luiz.

Quanto aos animais, por serem princípios espirituais com menor tempo percorrido na longa estrada da evolução infinita, pensam fragmentariamente, normalmente seus pensamentos são descontínuos, daí suas ondas mentais serem fragmentárias, pensam em laivos ou fagulhas, são almas simples, mas “não são simples máquinas como supondes” (3).

As partículas mentais, projetadas por cada Espírito, tem a qualidade da indução mental sobre o campo psíquico de outras criaturas que sintonizem com o mesmo tipo de pensamento ou se coloquem submissas em termos de receptividade, por exemplo, animais ou seres simples e ignorantes. A intensidade da indução mental dependerá da intensidade da concentração, da persistência do pensamento e da clareza no rumo dos objetivos.

Somos seres que já amealhamos grande acervo de experiências, foram inúmeros acertos e equívocos que registramos, em nosso inconsciente, como estímulos ao progresso. Hoje, se somos amparados pelas correntes mentais dos iluminados, embora captemos muito pouco de suas induções mentais, também somos cocriadores de formas-pensamento e indutores mentais sobre seres menos desenvolvidos, não só os fisicamente próximos, mas todos os seres da Natureza com quem devemos intercambiar amor e respeito, pois, como nos diz Emmanuel, o que nos diferencia deles é apenas a maior ou menor distância do caminho percorrido.

 

Dr. Ricardo Di Bernardi*

*Médico, escritor e conferencista espírita, rhdb11@gmail.com

*Escritor com 5 livros pela Intelítera

Fonte:  Medicina e Espiritualidade

 

Referências:

  1. Xavier, Francisco C. Mecanismos da Mediunidade Pelo Espírito André Luiz. 7ª ed. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira.
  2. Mecanismos da Mediunidade, cap. 4, Matéria Mental.
  3. Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos. [1857] Questão 595
Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Espiritismo, Sexualidade, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta