Lei de Causa e Efeito

Destino depende da « Lei do Carma » ou do bem ou do mal feito

José Reis Chaves

Belo Horizonte, MG

A chamada ‘lei de causa e efeito’ é científica, bíblica, filosófica, teológica e universal. Entre outros de seus nomes, citamos: ‘lei do carma’, ‘lei da colheita obrigatória do que é semeado’, todas em consonância com a lei física’: “A cada ação corresponde uma reação de igual potência e reversibilidade”.

Kardec preferiu usar somente o nome mais tradicional ‘lei de causa e efeito’, mesmo porque, no seu tempo, a expressão ‘lei do carma’ era usada apenas no Oriente. Mas hoje, com o contato intenso entre o Ocidente e o Oriente, essa expressão ‘lei do carma’ entrou em nossa língua e também nos meios espíritas.

Essa lei, no sentido religioso e moral, é muito citada nas escrituras sagradas e, principalmente, na Bíblia. Por isso, a doutrina dos espíritos codificada por Kardec dá a ela muita importância em toda a sua vasta literatura e pregações.

Temos que ter em mente que se sofremos, é porque fizemos alguém sofrer. E a respeito de males cometidos em vidas passadas, muitos dizem: Por que e como vou pagar um erro que eu teria feito numa encarnação passada, se eu não me lembro dele? Mas é o Mestre dos mestres que ensinou que ninguém deixará de pagar todas as suas faltas até o último centavo. (São Mateus 5: 26; e são Lucas 12: 59), o que quer dizer que as penas não duram para sempre, pois pago o último centavo, não vamos pagar mais nada, sim, pois a lei divina é justa e perfeita. Quem as paga é o espírito que só sai do corpo que morre, continuando, pois, a viver, já que é imortal. E esteja onde estiver, ele tem que pagar seus pecados, desde o primeiro até o último, a não ser que o excelso Mestre tenha mentido para nós, hipótese essa, totalmente, inaceitável! 

Aliás, essa verdade é até uma das provas da reencarnação, pois quando uma pessoa é uma alma de escol, mas tem uma vida de um sofrimento constante, é porque, numa outra vida, ela aprontou, pois a ‘lei de causa e efeito’ é perfeita. Quem sofre é porque fez alguém sofrer. Com a medida com que tiverdes medido, sereis medidos. (São Mateus 7: 2). Quem matar com espada, seja morto por espada. (Apocalipse 13: 10).

Há pessoas boas que sofrem, porque estão pagando faltas de uma vida anterior. E elas, usando mal o seu livre arbítrio, podem cometer alguma falta grave e voltarem a sofrer nesta vida mesmo ou em outra futura. De fato, podemos pagar também erros na mesma vida em que eles foram cometidos. E, também, numa mesma vida em que nossas boas ações foram praticadas, podemos colher igualmente a recompensa delas. O certo é que nada escapará dessa inexorável ‘lei de causa e efeito’! E a respeito dela, que fique bem claro que não se trata de castigo nem prêmio de Deus, pois ela é divina, mas é manipulada por nós mesmos. É como a energia elétrica que é também manipulada por nós, podendo, pois, a sua conta vir baixa, quando a economizamos, ou cara, se não cuidamos de controlar o seu gasto!

Porém, como Deus é Pai de misericórdia, de acordo com a ‘lei de causa e efeito’, uma pessoa pode ter muitas faltas e ter suas consequências de sofrimento aliviadas e até anuladas, se ela, usando de seu livre-arbítrio, faz o bem e a caridade. É o que diz a Bíblia: O amor encobre multidão de pecados. (1 Pedro  4: 8).

E terminamos essa matéria com a conhecida e lapidar frase evangélica (são Mateus 16: 27), que nos deixa claro o que é essa ‘lei do carma: A cada um será dado conforme suas obras! 

Autor:

José Reis Chaves (Belo Horizonte/SP)

 

e-mail: jreischaves@gmail.com

Rede Amigo Espírita

Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Espiritismo, Sexualidade, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *