FÉ E OTIMISMO EM TEMPOS DIFÍCEIS

FÉ E OTIMISMO EM TEMPOS DIFÍCEIS

Vania Mugnato de Vasconcelos

Temos vivenciando época ímpar, cheia de informações desencontradas, pânico disseminado tão velozmente quanto o vírus que tomou o mundo, aproveitadores e ingênuos se posicionando do lado que acham melhor, isolamento para uns, trabalho para outros, nenhuma certeza e uma pandemia a enfrentar.

À parte dos posicionamentos pessoais, devemos agir eticamente, com amor a si mesmo e ao próximo, em ações responsáveis e com forte compromisso social. Contudo, além dos aspectos da vida material, existe um lado espiritual nos problemas humanos. Pululam mensagens ditadas por espíritos com o objetivo de pacificar os corações humanos na intenção de evitar que se entreguem cegamente ao improdutivo medo.

A forma mental negativa no enfrentamento das dificuldades, dos flagelos, despeja na “alma” da Terra um ar espiritual causticante, o qual só saberemos evitar ao entendermos para que serve a experiência atual.

O que chamamos de flagelo é tratado pela Doutrina Espírita como mais um modo de estimular a regeneração e o progresso da humanidade. Fôssemos todos bons, poderíamos viver sem precisar passar por eles, mas como se sabe, “quem não vai pelo amor, vai pela dor”. A questão não é a estrada trilhada, mas que progrediremos de um modo ou outro durante o trajeto. O amor e o sofrimento levam à revisão da vida, da conduta, e à escolha do que é melhor para todos; sobretudo leva à abstenção do cruel egoísmo.

O Livro dos Espíritos, questão 740, diz textualmente que: “Os flagelos são provas que proporcionam ao homem a ocasião de  Exercitar a Inteligência, de Mostrar a sua Paciência e a sua Resignação ante a vontade de Deus, ao mesmo tempo que lhe permitem Desenvolver os sentimentos de Abnegação de Desinteresse Próprio e de Amor ao Próximo, se  ele não for dominado pelo egoísmo.”

Se você crê em Deus, tenha convicção de que não vivemos senão o necessário para nos tornarmos melhores. A humanidade precisa dar um grande salto em moralidade! Toda dor passa, o medo só dificulta o aprendizado da lição e o faz demorar além do necessário. Sim, a vida física do homem na Terra terminará de um modo ou de outro, por isso não devemos perder nenhuma oportunidade de amar mais, confiar mais, sermos mais responsável e fazer nossa parte.

Mantenha a fé e o otimismo.

A humanidade será melhor após os dias atuais.

Vania Mugnato de Vasconcelos
Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Espiritismo, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *