Evangelização Infantil

A importância da Evangelização no processo de formação da criança.

Dejair dos Santos

Na pergunta 383 de “O Livro dos Espíritos”, Allan Kardec faz a seguinte indagação: “Qual é, para o Espírito, a utilidade de passar pela infância”, e obtém como resposta dos Espíritos, o seguinte: “Encarnando-se com o fim de aperfeiçoara, O Espírito é mais acessível durante esse tempo às impressões que recebe e que podem ajudar o seu adiantamento, para o qual devem contribuir os que estão encarregados da sua educação”.

Como adendo, José Herculano Pires insere uma nota na qual revela que os pais e os professores espíritas devem ponderar sobre este item e os que lhe seguem. Segundo ele, o “Espiritismo vem abrir um novo capítulo da psicologia infantil e da pedagogia, mostrando a importância da educação da criança não apenas para a vida, mas para a sua própria evolução espiritual”.

Diante disto, o Departamento de Evangelização da União das Sociedades Espíritas (USE) – Intermunicipal de Santos, promoverá seu primeiro curso de capacitação de monitores de Evangelização, visando aparelhar as casas adesas de pessoal capaz de atuar junto à infância.

O educador e espírita Leopoldo Machado, já desencarnado, assinala que a educação da infância é a maior obra do Espiritismo. A Doutrina Espírita representa, hoje, elevada escola de educação do Espírito, a serviço de Jesus, com a grandiosa tarefa da edificação do Reino de Deus na Terra, reino este que se inicia no interior de cada um.

O que se faz na área da infância e juventude sob a denominação de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil é a difusão do conhecimento espírita e da moral evangélica pregada por Jesus, que foi apontado pelos Espíritos Superiores, que trabalharam na Codificação, como modelo de perfeição para toda a Humanidade.

Como a preocupação não é somente com a transmissão de conhecimentos, mas sobretudo com a formação moral; e como a formação moral se inspira no Evangelho, pareceu mais apropriada a denominação da Evangelização Espírita dada a esta tarefa, por expressar, na sua abrangência, exatamente o que se realiza em nossos grupamentos de crianças e jovens.

O ensinamento espírita e a moral evangélica são os elementos com os quais trabalhamos em nossas aulas. Esses conhecimentos são levados aos alunos através de situações práticas da vida, pois a metodologia empregada pretende que o aluno reflita e tire conclusões próprias dos temas estudados, pois só assim se efetiva a aprendizagem real.

Precisamos entender a Evangelização como sendo a melhor contribuição que pode ser oferecida ao espírito encarnado em seu processo evolutivo. Quem instrui, oferece meios para que a mente alargue a compreensão das coisas e entenda a vida.  Quem educa, cria os valores ético-culturais para uma vivência nobre e ditosa.

Quem evangeliza, liberta para a Vida feliz. A criança evangelizada torna-se jovem digno, transformando-se em cidadão do amor, com expressiva bagagem de luz para toda a vida, mesmo que transitando em trevas exteriores.

Bezerra de Menezes nos diz que “a criança que se evangeliza é o adulto que levanta no rumo da felicidade porvindoura”.  Educar, pois, dentro da concepção Espírita não é só oferecer os conhecimentos do Espiritismo como também envolver o educando numa atmosfera de responsabilidade, de respeito à vida, de fé em Deus, de consideração e amor aos semelhantes, de valorização das oportunidades recebidas, de trabalho construtivo e de integração consigo mesmo, com o próximo e com Deus.

redeamigoespirita

Esta entrada foi publicada em Artigos, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *