Equivocos orientadores sobre a prece

 Victor Manuel Pereira de Passos

A Prece é força, alimento, balsamo, partilha de energia, consolo e reforço da alma que a projecta.

A sua presença nas nopssas vidas é o recompositor do equlibrio, reforço da fé e paz em tons de harmonização.

No entanto a Prece, não é só isto, é muito mais e para quem está envolvido em trabalhos mediunicos, palestras, em espaço de fluidoterapia, ela é o halo respiratório do equilibrio fluidico, da amenização das fragilidades fisicas, psiquicas e espirituais e em circunstância alguma se pode rotular de objecto de ritualização, ou mesmo de preconceito, porque apesar de termos evoluído no que consta à criação de valores morais e intelectuais, ainda desconhecemos  muito da força e grandeza maior da prece, em nossas vidas e nos trabalhos que realizamos seja no Centro espirita ou em outro espaço do Universo.

Todo e qualquer trabalho,ou função num Centro Espirita envolve sempre fluidos, e esses carecem da parte de quem participa de um transporte vibratório, que não só facilita a interligação entre os guias espirituais, como  aproxima toda a equipa protectora que vai estar atenta a todos pormenores de ajuda e orientação, de forma a que com serenidade, responsabilidade e disciplina, os trabalhos se falçam com ordem, equilibrio e menos desgaste.

Afinal, quem ganha com isto? A comunicação, a orientação, o medium,o orador, o passista, porque a prece não só é nucleo apaziguador psiquico, fisico e espiritual, como tonico para manter plateias dentro  dos valores do equilibrio e atenção.

É preconceito e mesmo equivoco, achar que uma prece antes duma palestra, pode levar os espiritos presentes , bem como as almas, a pensar que estamos numa igreja, ou que somos religiosos, e até porque é um ritual?!

Pois bem, meus irmãos, isto é um equivoco  de orientação e que deve ser corrigido, porque quem pensa assim, desconhece a doutrina espirita e a sua essência.

O Centro Espirita, é criado para esclarecer, orientar, consolar e não para fomentar melindres religiosos, ou tabus…

A Casa Espirita, não precisa ser voz da hipocrisia, mas um espaço de verdade, humildade e respeito pelos valores do amor que Cristo depositou em seus enormes ensinamentos, o que adianta estudo, se naquilo que mais devemos crescer não o fazemos, e aqui falo de moral, aquela que transporta todos nós para o crescimento, porque ela faz parte da Doutrina Espirita, e por isso temos como exemplo Jesus. O proselitismo, não faz santos, mas adversários de si mesmos, que adianta o intelectualismo, se lhe falta a pedra basilar do crescimento, ou seja a moral de Cristo?!

Aqueles que pensam que apenas, devemos preocupar-nos com os espiritos encarnados, estão sumamente enganados e então tal como afirmei no inicio, estão perdidos no caminho, equivocados da realidade Espirita.

Todos nós devemos respeito por aqueles que obram em nosso favor e dos outros, daí a merecerem nosso respeito em todos trabalhos espiritas que realizemos.

Claro que a prece no inicio de qualquer trabalho, não deve ser uma ode de enumeros versos, não é isso que se pede, mas um momentocurto de mentalização no conjunto de simples palavras, abrindo as portas à protecção e ligação, não só com os que vão executar a tarefa no fisico, mas também aqueles que nos estão a ouvir e como recepção de boas vindas aos que se farão presentes nesse momento para nos ajudarem e semear a sintonia necessária para que o equlibrio se faça presente.

A relação do Espiritismo com a religião, é parcelarmente e apenas o apelo à transformação moral do homem e isso dentro dos valores ensinados por Cristo,. Certo que sem rituais, sem paramentos, sem sacerdotes e tudo que se relacione com a ritualização, penso que não é dificil perceber isto.

A Prece meus irmãos é luz para o dia, saúde para o corpo e espirito e balsamo para aqueles que são envolvidos na mesma.

A Prece é fonte inesgotavel de saúde, fisica,psiquica, espiritual, não deixem de a fazer na abertura de qualquer trabalho, bem como nos espaços de vossa vivência, porque a luz , nunca fez mal a ninguém.

Muita paz

Victor Passos

Esta entrada foi publicada em Artigos, Ciência, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *