Caridade e perdão para uma vida feliz.

– Caridade e perdão são as molas mestras para uma vida feliz, diz o psiquiatra Flávio Braun

A caridade e o perdão são as molas mestras para uma vida feliz é o que nos garante o médico psiquiatra Flávio Braun, na palestra o Caráter e a obsessão, que abriu a 62ª. Semana Espírita de Santos, na noite de sábado (11), no Centro Espírita Ismênia de Jesus. Promovido pela União das Sociedades Espíritas (USE) Intermunicipal de Santos, o evento tem como tema central “A vivência no Evangelho, o antídoto para a obsessão”, neste ano em que se comemora o sesquicentenário da publicação de O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec. A noitada foi ainda harmonizada pelas melodias do Grupo Vozes Nosso Lar, de Peruíbe.

            Reencarnamos para aprender a ser feliz, fiz Braun, lembrando que por meio da caridade e do perdão, o ser humano pode alcançar esse objetivo. “O aprendizado é o caminho a ser percorrido em busca da evolução, independentemente da crença que professamos. Na busca pelo autoconhecimento nos perguntamos quem somos? O que estamos fazendo aqui? E para onde vamos? O autoconhecimento é, portanto, o ponto de partida e o de chegada, em nossa caminhada.

            Nesta caminhada, a Espiritualidade é testemunha dos nossos erros, mas também de nossas virtudes. “Mas, é a consciência que se reveste em nossa maior testemunha. Através dela podemos observar a presença de Deus em nosso Espírito”.

            O prazer não é condenado pelo Espiritismo, mas o exagero na busca pelo mesmo deve ser evitado. Devemos lembrar que tal quais os prazeres materiais, a caridade também produz dopamina, mas ao contrário dos prazeres materiais, a caridade não produz um prazer efêmero, fugaz. Trata-se de um prazer que permanece vivo para sempre.

            Da mesma forma que a caridade é prazerosa, ela também combate a depressão, nos levando a ser feliz. E o mesmo ocorre com o perdão, seja ele para com o nosso próximo, seja para com nós mesmos. O auto-perdão faz com que nos enxerguemos de uma maneira muito mais ampla, pois de uma maneira geral vemos a vida e a nós mesmos de um modo muito míope.

            Aprendendo a nos conhecer podemos, principalmente, combater a obsessão, em particular a fascinação, que nos leva de uma maneira muito mais perigosa a sermos conduzidos por nossos obsessores. Podemos sim combater as brechas de caráter, como egoísmo, orgulho, vaidade, prepotência e inveja, caminhos que nos levam a uma “sintonia mais fina” para com a obsessão. Verdadeiras portas de entrada para uma vida infeliz.

            O Espiritismo, em especial o Evangelho, nos ensina que tudo nos é permitido, mas que nem tudo nos convém, e o que escolhemos fazer hoje, vivenciaremos amanhã, numa prova contundente da Lei de Ação e Reação. Assim, devemos ter uma reencarnação produtiva, que pode começar a ser produzida mesmo a partir de agora, através da Reforma Íntima, Vamos, portando, praticar a caridade e o perdão.

redeamigoespirita

Esta entrada foi publicada em Artigos, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *