Adoção de Animais

VISÃO ESPIRITUAL DO ATO DE ADOTAR UM ANIMALZINHO

Ismael Batista – Guaxupé – MG

Na evolução espiritual em que nos encontramos, vibra em todos nós, homens e mulheres, O AMOR MATERNAL.. Afinal já tivemos muitas experiências corpóreas nos dois gêneros e em reino inferior.. Isso explica o porquê ficamos todos encantados, desejosos de proteger, trazer para o peito e para perto do coração todo e qualquer filhote que encontramos pelo caminho, principalmente quando a fragilidade e o abandono os deixa tão vulneráveis.. A fragilidade, a doçura que vemos neles nos arremete, inconscientemente, a um passado distante junto de nossas proles indefesas, e aí, sentimos o desejo de pegá-los, ampará-los, trazendo-os para o nosso convívio diário..
Porém, muitos, quando envolvidos por essas fortes emoções, se esquecem que os bichinhos logo ficarão adultos, pois o período de infância dos animais é muito curto e bem diferente da dos seres humanos, que tem o maior período infantil de todos animais..
No mundo, não só agora nos tempos modernos, como em todos os tempos, muitas pessoas, levadas por esse sentimento maternal, adotam cachorrinhos, gatinhos e outros filhotes de forma irrefletida, sem nenhum planejamento.. Com isso, assim que os bichanos vão ficando adultos, observando que necessitam de outros cuidados; que os gastos não são poucos; que já não são mais tão graciosos como quando filhotinhos e que alguns inconvenientes são inevitáveis, algumas pessoas, impiedosamente, acabam deixando-os a própria sorte, soltando estas criaturinhas de Deus pelas ruas, fundo de bairros distantes e pobres ou pelas estradas, colocando-os em triste situação de abandono, fome, dor e, até, perigos de morte..
Quando isso acontece, podemos ver neles através dos seus olhinhos, agora, sem brilho, o sentimento de tristeza, angústia, medo que se instalaram em seus corações.. A maioria deles deprime por se sentir abandonado por aqueles que aprenderam a amar e ser fiel.. São traumas que marcarão essas incríveis criaturinhas pelo resto da vida.. Mas tudo que se faz para os outros tem retorno.. A lei de ação e reação é justa, perfeita e imutável.. Aquilo que fazemos para os outros retorna a nós mesmos de alguma forma..
Não podemos nos esquecer que a partir do momento que adotamos um animalzinho, passamos a ser um verdadeiro “deus” para ele e, a partir daí, a idéia que terão de Deus corre por nossa conta e responsabilidade.. Portanto ao adotar um filhote lembre-se:
• A partir do momento que você adotou, passará, espiritualmente, ter responsabilidade sobre a criaturinha de Deus que você escolheu..
• Que o bichinho logo ficará adulto; Se você só interessa pela forma infantil e quer que seu animalzinho seja sempre assim, compre um bichinho de pelúcia e deixe os filhinhos de Deus em paz e junto daqueles que já aprenderam a amá-los..
• Que a evolução, bem estar, saúde e cuidados naturais do seu tutelado estarão sob vossa responsabilidade espiritual.. Você será como um anjo da guarda dele e para a vida toda;
• Tenha cuidado para não humanizá-lo.. Aceite e respeite a sua evolução animal.. A evolução não dá saltos;
• Seja o melhor amigo dele, pois, com certeza, ele fará de tudo para ser o seu fiel e melhor amigo..
Há muito ainda a saber sobre os animais, sua natureza, percepções e todo seu universo biológico e sensorial, mas é preciso estudar, ir de encontro dos renomados pesquisadores e estudiosos como Ernesto Bozzano com o livro: Animais tem Alma?? Cairbar Schutel traz no livro Gênese da Alma, extraordinário conteúdo sobre a capacidade sensorial dos animais, relatando passagens como Daniel na cova dos leões, como o comportamento dos animais se apresenta diante de determinada situação.. Assevera Cairbar Schutel …” A sobrevivência da alma animal está provada, não só com argumentos de irrefutável lógica, como também com fatos que a História registra..”
Cairbar Schutel no livro Gênese da Alma faz a seguinte citação: … Não há quem possa negar a inteligência dos animais, ainda mesmo os muito inferiores, bem como os seus sentimentos afetivos, de piedade, que poderiam servir de exemplo a muitos homens que ostentam sabedoria e grandezas, mas que, na frase evangélica, são semelhantes aos sepulcros branqueados que são belos em sua parte exterior, mas no interior só contém ossos e podridões..
Para encerrar deixamos uma citação do nosso venerando benfeitor Chico Xavier … “Nós seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar.. Portanto quem chuta ou maltrata um animal é alguém que não aprendeu a amar..”
Adotar um animalzinho é um ato de amor que se perpetua no universo.. No entanto é preciso que seja responsável e consciente…

Esta entrada foi publicada em Artigos, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *