“O Aborto” . . . uma atitude a ser abortada

  …….  *** Fica muito fácil minimizar este ato, principalmente quando o inquilino que acaba de ser despejado de um útero materno é visto apenas como um aglomerado de massa proteica sujeito as divisões celulares iniciais, esquecendo que atrás deste ser ora amorfo  existe um aglomerado de sonhos e realizações ***……….

Vamos colocar os olhos da espiritualidade neste cenário escabroso:

Quais são as metas de qualquer indivíduo que está prestes a voltar a lida terrena?

Existem indivíduos que estão com a sua programação na vida terrena com as mais variadas opções :

Muitos de nós já chegamos com projetos já definidos, muitos atuaremos em áreas  assistencialistas,  missões humanitárias, no âmbito da educação, no campo das artes, outros serão cientistas, governantes, missões como religiosos, na medicina, no estudo das leis.

Existem por fim aquelas missões de cura da própria alma em que indivíduos portadores de sequelas do mal ou mesmo portadores de comportamentos e atitudes que ainda o vincula ao jardim da infância da evolução humana, todos estes indivíduos independentes das circunstancias evolutivas vão ter momentos que a única opção que lhes resta é o retorno ao grande palco da vida, ou será a trabalho. ou será para desprender das chagas da alma, algumas vezes é possível a remissão destas chagas e numa mesma existência já começar a realizar  projetos de trabalhos nos diversos campos citados acima.

Dentro deste contexto, vou agora jogar uma situação que poderá ser definida como um desastre, mas um desastre daqueles que se guardada as devidas proporções pode se equiparar a uma hecatombe  nuclear, isto por que num cenário de sinistro nuclear se destrói tudo ao redor, e num cenário  onde cessamos o preparo reencarnatório, o aborto, este irá  destruir todas estas situações de resgate para o homem, o alcance do desastre é muito maior do que se imagina, esta miopia do ser muitas vezes é desencadeada por uma outra doença da alma chamada egoísmo.

Se este comportamento criminoso estivesse sido arraigado na sociedade deste inicio da raça humana da mesma forma que muitos grupos advogam nos dias de hoje , já imaginaram as conseqüências? Já imaginaram um mundo sem Platão, Sócrates, Francisco de Assis, Newton,Galileu, Da Vince, Michellangelo, Marconi,  Mozart, Tomas Edson, Joana Darc, L.King, Gutemberg, Grahm Bel , Chaplin, Gandi, Pestallozzi, Sabin ?  Esta lista é muito vasta, citei apenas alguns para servir de exemplo.

Vamos fazer um exercício , imaginem vocês a tragédia no mundo se as mães de cada um destes ai citados  resolvessem partir a pratica criminosa  do aborto, obstruindo assim a chegada na terra  destas almas iluminadas, sinceramente por mais que muitos advogam ser propriedade de vossos corpos tendo assim o direito de tirar a vida dos vossos rebentos, se tivéssemos tirado as vidas destes indivíduos ai, olha o tanto que esta pratica abortiva poderia ter deixado o planeta próximo a idade das cavernas.!!!!!

Vamos a uma reflexão:

Quantos indivíduos com propósito iguais a estes grandes mártires da humanidade devem estar com encarnações programadas para futuro próximo, que graças ao anonimato poderiam cair nestes precipício chamado aborto?

O principal argumento que muitos poderão dizer como defesa deste crime será:

Há !!!!  Mas eu não sabia que era desta maneira, eu nunca acreditei na reencarnação, eu nunca acreditei nesta historia de vida após a morte do corpo físico, Deus para mim não passava de uma lenda, procurei prova da existência de Deus e nunca me deram, agora querem cobrar de mim o débito desta conta cruel, e ademais o corpo era minha propriedade, eu que sei das minhas necessidades não tenho condições financeiras para arcar com uma gravidez, sou sozinha no mundo, tenho outros projetos na vida, maternidade acaba com a oportunidade de gozar minha  beleza física, por que eu tenho que me submeter aos caprichos do mundo?

Estes são os principais argumentos quando paramos para conversar com quem praticou ou defende a pratica do aborto, o que não lhes faltam são respostas na ponta da língua, para qualquer situação deste delito sempre haverá uma tentativa de explicar e justificar este ato.

Foi citado aqui uma pequena relação de grandes trabalhadores, apenas um exemplo daqueles que poderiam ter suas missões abortadas aqui na terra antes mesmo da saída do ventre materno, agora vamos ao reverso da medalha.

Existe uma falange enorme, muito maior do que a falange que neste momento esta encarnada na terra, são irmãozinhos beirando ou já mesmo nas raias da loucura ou do pânico esperando uma oportunidade de resgate aqui na terra, são verdadeiros doentes, muitos em estados quase de demência, outros conscientes e até mesmo eufóricos com a possibilidade de retorno, cheios de planos, acham que com  ajuda carinhosa daqueles que vieram na frente e que se comprometeram na condição de pais para ajuda-los a saírem dos lodaçais das existências humanas, estão com projetos de se desprenderem  do orgulho, da ganância, da vaidade,do ódio, da vingança e principalmente de se reconciliarem com os seus desafetos.

La estão eles, todos esperançosos e por ironia do destino, justamente aqueles filhos de Deus que vieram na frente com propósito de preparar o berço redentor é que vão fazer um estrago enorme em seus planos, de uma hora para outra por um decreto individual se nomearam proprietário do destino daqueles que seriam vossos filhos.

A conclusão é :

Qualquer explicação para o aborto criminoso foge a possibilidade de aceitação dos tribunais divinos, o que foge deste contexto aqui seria quando as  mães estivessem  sob risco de vida, ai a analise seria outra.

Mas mesmo assim se nesta situação de risco materno, houver uma vontade dos pais para com esta prática ou seja, estariam aproveitando a situação de risco para a pratica criminosa, com certeza   será  sim  ser contabilizada pelos tribunais da consciência como um crime, a consciência é o tribunal mais cruel a delatar de qualquer ato criminoso.

O aborto vai contra os propósitos mais nobres de redenção do homem, não adianta querer se perder nestas justificativas sem fundamentos, ou poderemos ceifar a programação de grande trabalhadores do bem,ou decretar o descortinar triste da redenção das almas falidas, cuja a oportunidade teimamos em jogar na lama, como se fossemos o proprietário de um  pântano triste chamado ABORTO.

redeamigoespirita

Esta entrada foi publicada em Artigos, Espiritismo, O Aborto. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *