Falando de Obsessão

FALANDO DE OBSESSÃO

 (Alfredo Zavatte)

Somente a Verdade e o Amor, vivenciados pelo coração desperto e desejoso de crescimento espiritual, ensejados nos ensinamentos de Jesus, podem libertar.

A Obsessão e Os Obsessores

Aos falarmos sobre esse tema, convém considerarmos que hoje a humanidade colhe os frutos das sementes que deitou ao solo e, por conseguinte, as dores de hoje são produto dos erros do passado.

Assim, a humanidade vive envolta em uma aura pesada, onde conflitos armados, lutas fratricidas, ambições religiosas, sensualidade, vícios de toda espécie, egoísmo e vingança contribuem sobremaneira para que tenhamos, em nossa companhia, espíritos afins.

Se, por um lado, temos o amparo e a ajuda de espíritos que se dispuseram a tutelar o planeta, enviando vibrações positivas, também devemos considerar que correntes de vibrações negativas são enviadas para este mundo, em que vivemos encarnados, alimentando mais discórdia e ódio entre espíritos, sejam eles encarnados ou desencarnados, não conscientes das verdades espirituais (verdades essas que temos que assimilar a qualquer custo, se quisermos evoluir).

Espíritos de toda espécie, em qualquer estágio evolutivo, nadam num mar de indiferença e egoísmo que nós mesmos criamos. Hoje, a vítima sofre, mas, amanhã, sem o conhecimento da verdade, ela se tornará o verdugo e, assim, os ciclos de sofrimentos persistirão, caso não haja um “basta” e o desejo de mudança para uma evolução espiritual, a fim de melhorar as condições do orbe terreno.

A grande realidade, que devemos compreender, é que somente a Verdade e o Amor, vivenciados pelo coração desperto e desejoso de crescimento espiritual, ensejados nos ensinamentos de Jesus, podem libertar.

Temos que nos conscientizar de que somos os responsáveis pela nossa relação com os espíritos, sejam eles ignorantes, perturbadores da ordem pública ou fiéis escudeiros do Cristo que, a todo instante, nos protegem e nos dão guarida para que males maiores não nos aconteçam. Porém, a lei de atração é incontestável e é ela que se faz presente em todos os nossos atos e pensamentos. Semelhante atrai semelhante.

Aquilo que seu pensamento elege como sua principal atenção, sejam aspirações ou desejos por coisas positivas ou negativas, certamente atraíra afins. Se você for ganancioso e extremamente materialista , por certo, acumulará muitos tesouros. Contudo, deveria lembrar sempre que todos os bens materiais são temporários e passageiros. E, ainda, se seus pensamentos elegerem como prioridade, a ganância e o materialismo exacerbado, terá como companheiro, encarnado ou desencarnado, aquele que pensa e comunga o mesmo pensamento. Ninguém que é extremamente materialista terá, por companhia, pessoas espiritualizadas, que já superaram a fase do “ter”. Por outro lado, sendo amoroso e cultivando valores espirituais, você atrairá o amor do próximo e as experiências diretas do amor de Deus. Seres mais adiantados espiritualmente optam pelo “ser”.

Essa Lei Universal, de atração, é muito importante para entendermos o mecanismo que processamos, sem perceber. Senão, vejamos mais algumas considerações com relação ao assunto.

Podemos nos afastar de uma relação indesejável. A lei da atração pode empurrar esse amigo, encarnado ou desencarnado para fora de sua vida. Mas, esta ação vai depender unicamente de você.

Duas pessoas mantêm intimidade devido à frequência vibracional que ambas estão emitindo, uma para a outra, não importa onde estejam. Quando a vibração muda, a frequência do outro é desalinhada. Se você quer encontrar um parceiro digno de seus ideais, deve emitir a exata frequência desse ideal amoroso. Atrair ou repelir relações consiste no mesmo processo da lei física, administrada pela sua energia. Você muda internamente através da intimidade de seus pensamentos, sentimentos e crenças, e tudo à sua volta começa a percorrer um caminho dinâmico de mudanças.

O pensamento emite um sinal elétrico, que se agrupa a outros sinais elétricos semelhantes no universo, para formarem um padrão de crenças e consciências. A afirmação é uma maneira de direcionar a sua vida. Quando você emite uma vontade de si mesmo, está dando um comando que incentiva o universo a girar em torno da sua verdade e sua vontade.

A emoção, por exemplo, é uma força luminosa e magnética, que age como um redemoinho de vibrações que vai aglomerando outras vibrações com sinais semelhantes em todo o universo. A imaginação é a maneira de coordenar detalhes da sua nova realidade. O universo necessita de seu incentivo visual para absorver o que originará a sua criação. Todos os aspectos físicos de si mesmo e da sua vida são resultados de um grande foco emocional, colocado em movimento através de sinais que a sua consciência emite.

Através desses mecanismos que acontecem no seu mundo interior e que atingem uma força muito mais poderosa do que qualquer ação, você começa a mudar estruturas físicas da sua vida.

Qualquer ação, fruto de desespero, terá força criativa improdutiva.

Contudo, quando agimos em função de uma consciência em crescimento, amparada por crenças que movem a vida na direção positiva, então estaremos sendo criativos, tendo o respaldo bem-aventurado do universo, em qualquer direção, ou seja, a força do pensamento bem direcionado e bem-intencionado, terá adeptos afins e, como consequência, se tornará crescente.

Vejamos um caso muito comum entre nós.

É comum nos depararmos com relações amorosas, nas quais um dos parceiros aparece como o grande prejudicado, seja por ser mal tratado, ignorado, negligenciado ou mal compreendido.

É interessante aqui, deixar claro o que aprendi com minha mãe: ”em briga de marido e mulher, não se mete a colher”. Assim, quando alguém nos procura com esse tipo de problema, podemos dar apoio simplesmente ouvindo, mas nunca aconselhando.

Porém, uma pergunta, geralmente, fica martelando a cabeça e, às vezes, cometemos o erro de verbalizar:  “se essa pessoa sofre, porque permanece no relacionamento?”. Ou ainda: “se o outro é tão ruim, por que esta pessoa perde tempo em acusá-la? Simplesmente, não resolve a situação se separando?”.

Procurando sempre nos manter em zona neutra, para não entrar nesse terreno perigoso entre casais, a resposta para perguntas como estas podem ser bem simples, encontradas na lei universal de atração, ou seja, semelhante atrai semelhante.

De acordo com a lei do retorno e os conceitos da ação e reação, fica claro que alguém com energia “X” atrai pessoas de energias parecidas. Isso invalida, portanto, a ideia de que uma pessoa é vítima de outra, já que, para isso, precisaria haver um superior e um inferior na relação.

Observem, caros leitores, quantas vertentes existem no processo obsessivo, que nos mantém atrelados uns aos outros, através de nossas sintonia mentais, de nossas vibrações e de simples pensamentos.

Temos milhares de pensamentos por dia e os psiquiatras e terapeutas nos informam que crianças, adolescente e até adultos, estão, na atualidade, sendo acometidos pela Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), grande geradora de ansiedade e que causa dependência constante de novos estímulos em maior quantidade [1].

Em função do excesso de estímulo recebido, principalmente da televisão, a qualidade e a velocidade do pensamento muda com muita rapidez, causando a SPA. A cada hora, afirma Cury, o cérebro recebe mais se sessenta personagens diferentes quem ficam registrados na memória.

Obviamente, quanto mais a tecnologia avança e mais rápida ela se torna, mais acelerados se tornarão os pensamentos. Algum leitor poderá entender, de certa maneira, que fugimos um pouco do tema, o que não é verdade. Convém lembrar que o termo “obsessão” tem o significado de “tornar-se obcecado por”[2],  “comportamento de importunar ou perseguir alguém de forma insistente”, ou pode indicar um estado de preocupação permanente em relação a alguém ou alguma coisa de forma insistente – a chamada ideia fixa.

A palavra obsessão tem origem latina, obcaecare, que indicava um estado de cegueira, pois o indivíduo obcecado não consegue avaliar seus comportamentos e a própria realidade. Por outro lado, obsessão vem do latim obsedere, que indicava o ato de cercar ou rodear alguma coisa ou alguém [3].

Vasto é o campo a ser estudado, uma vez que tudo o que estamos abordando, neste tema, está intimamente ligado à nossa qualidade de pensamentos e, por consequencia, à nossa sintonia mental.

 

Paz ao seu Espírito.

 

Citações:

1)- Disponível no Site: https://www.youtube.com/watch?v=V-7xp6iJ7EQ – Acessado em 17/1/2015.

2)- Idem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Obsess%C3%A3o

3)- Idem: http://www.significados.com.br/obsessao/

Esta entrada foi publicada em Artigos, Espiritismo. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *