Valorização da vida e prevenções de enfermidades

Valorização da vida e prevenções de enfermidades

Grupo de Est. Esp. Chico Xavier – Exibir blog

Valorização da vida e prevenções de enfermidades

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

A prevenção de enfermidades na mulher e homem foram convencionadamente marcadas, respectivamente, como: “Outubro rosa – prevenção do câncer da mama” e “Novembro azul – prevenção do câncer da próstata”.

A abordagem de ações preventivas oferecidas pela Doutrina Espírita para a defesa da vida­ com ações de renovação interior, na família e círculo social, é extremamente oportuna em nossos dias.

A certeza de que somos espíritos reencarnados e em processo de aprimoramento é de fundamental importância para a melhor compreensão dos valores e da oportunidade da vida corpórea.

O velho conceito romano “mente sã em corpo são” (“mens sana in corpore sano”) prossegue atual.

O apóstolo Paulo anotou em sua 1ª. Epístola aos Coríntios:

“Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” 1

O espírito André Luiz, pelo recurso da psicografia, define com clareza em dois comentários:

“O corpo é o primeiro empréstimo recebido pelo Espírito trazido à carne.”2

“[…] temos necessidade da luta que corrige, renova, restaura e aperfeiçoa.

A reencarnação é o meio, a educação divina é o fim.”3

A partir dessas fundamentações cristãs e espíritas, torna-se interessante considerarmos o que representa o Espírito nos contextos íntimo e social; o equilíbrio entre corpo/espírito e melhores condições de vida. Esta última também inclui, evidentemente, o respeito com o corpo físico e a valorização da vida corpórea. Aí se inserem as medidas preventivas para se evitar enfermidades e também aquelas que favoreçam o diagnóstico precoce de doenças, evitando-se que elas sejam reconhecidas em situações tardias e danosas.

Em texto de parente nosso – que exerceu a medicina -, psicografado por Divaldo Pereira Franco, destacamos:

“Saúde e doença – binômio do corpo e da mente – são conquistas do ser, que deve aprender e optar por aquela que melhor condiz com as aspirações evolutivas, desde que a harmonia ideal será alcançada, através do respeito à primeira ou mediante a vigência da segunda.”4

O evangelista João registra assertiva do Mestre que assinalam a valorização da vida, sem dúvida, no sentido material e espiritual:

“[…] eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” – João5

Referências:

1). I Cor., 6.20.

2) Vieira, Waldo. Pelo espírito André Luiz. Conduta Espírita. Cap. 34. Brasília: FEB.

3) Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito André Luiz. Missionários da Luz. Cap.12. Brasília: FEB.

4) Franco, Divaldo Pereira; Carvalho, Antonio Cesar Perri. Pelo espírito Lourival Perri Chefaly. Em Louvor à vida. 1.ed. Cap. AIDS e profilaxia. Salvador: LEAL.

5) João, 10.10-11.

(*) – Ex-presidente da USE-SP e da FEB.

Grupo de Estudo Chico Xavier

Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Espiritismo, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *