Exoremos comiseração pelo Brasil!

Exoremos comiseração pelo Brasil! (Jorge Hessen)

Jorge Hessen

jorgehessen@gmail.com

Nas vésperas das eleições de 2018, no Brasil,  o espírita deve conservar-se acautelado. Não pode olvidar os mais graves casos de corrupção na política brasileira. Por conseguinte, diante da deterioração da dignidade e da má administração do dinheiro público, cujo objetivo foi o aparelhamento de todas instâncias jurídicas e legislativas, para a edificação e manutenção do IMPÉRIO POLÍTICO no Brasil (tal como acontece na China e Coreia do Norte). Percebe-se entre os brasileiros uma certa desesperança, descrença e desordem, infectando, inclusive, as instituições dos três poderes.

Nota-se, além disso, precário entusiasmo patriótico e desinteresse para a reorganização cívica vigorosa para a mantença da nossa nacionalidade. Jazem relativamente inertes alguns segmentos midiáticos e religiosos. As instâncias militares e outros agentes públicos de todas as instâncias encontram-se hibernados nas suas zonas de conforto e grande contingente de compatrícios fazem vistas grossas diante dos últimos episódios políticos.

O efeito dos bramidos oriundos do afamado “Manifesto de 1848”, avaliada em 1871, pela “Comuna de Paris” que, diga-se de passagem, foi universalmente contraditada pelos operários que se mataram na Primeira Guerra Mundial, sob o consentimento dos senhores do capital. Como se não bastasse, ocorreu  o histórico morticínio , sob o tacão da “foice e do martelo”,  onde centenas de milhões seres humanos foram sentenciados à morte , sobretudo a partir de 1917, na antiga União Soviética , na China, no Camboja, em Cuba, na Coreia do Norte e, ultimamente, na Venezuela.  

Os espíritas do Brasil não podem se rebaixar diante da putrefação moral e da corrupção que aniquilam as conquistas morais do brasileiro castiço. Urge exorar aos bons espíritos, solicitando que advoguem diretamente com o Cristo (Modelo e Guia da Humanidade) impetrando a imediata intercessão espiritual a favor dos patriotas honrados e das futuras gerações de brasileirinhos.

De alguns anos par cá, tornou-se lugar comum os figurantes (massa de manobra) da desordem reagirem, bradando por confrontos entre classes sociais, vociferando urros de paz e de justiça social como armas para a agressão entre compatriotas.  A exemplo dos “Movimentos dos Sem” criados por sinistros grupos insurgentes.

O povo brasileiro tem colhido inúmeras desilusões nas experiências coletivas, reflexas, muitas vezes, dos deploráveis atos de invasão.  Movimentos perturbadores que representam lutas dolorosas onde as ações refletem as palavras de comando das praças públicas, em que as massas ingênuas, padecentes e anônimas obedecem sob o jugo dos embustes provindos dos capciosos emissários da violência.  

Com a materialização do ideário dos populares “movimentos sem” conseguiu-se montar uma logística bem temperada com erário público e instituíram uma massa de “criaturas incivilizadas” que nos ameaçam e assustam. Possivelmente, suas ideias tenham sido justa e legítima no primeiro instante, mas, na radicalização, o que se assiste atualmente é um grupo de seres manipulados e fora-da-lei que atua com suas próprias noções de justiça, ignorando o Estado de direito.

Oremos por tais “pessoas violentas”, eis aí nossas armas poderosas. Queiram ou não queiram tais grupos , na verdade o Cristo permanecerá com a rédeas nas mãos comandando o povo para a definitiva vitória da paz e da ordem entre todos os brasileiros. Não por acaso, consta na composição do hino nacional o fragmento – “se ergues da justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge à luta”. Sim, os legítimos representantes do Cristo não abdicarão da luta pela probidade, pelo decoro, pela liberdade e pela honra.  

Que o Cristo tenha clemência de todos nós, intérpretes diminutos, neste paradoxal panorama incrustado neste território geopolítico da América do Sul. É urgente orar, solicitar a Jesus pedindo-lhe a interseção a favor dos denodados cidadãos (juízes, delegados, agentes policiais, advogados, procuradores, jornalistas, religiosos, articulistas espíritas e outros) que confiam na paz!.

Estamos seguros de que o Espiritismo auxiliará eficazmente nas reconstruções de ordem sociopolítica e econômica do Brasil, porque dentre outras propostas, sugere a substituição dos impulsos antigos do egoísmo pelos impulsos da fraternidade universal.

Oremos pelo Brasil!

 

Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Espiritismo, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *