As Contradições Bíblicas

As Contradições Bíblicas

Publicado por Amigo Espírita

SE A BÍBLIA FOSSE A PALAVRA DE DEUS, ELA NÃO TERIA  ERROS

Seria a Bíblia, literalmente, a palavra de Deus?  Somente Ele é infalível. E ela tem erros. Porém, muitos de nossos irmãos judeus e cristãos ainda pensam que até uma vírgula na Bíblia foi inspirada ou ditada por Deus.

Os autores bíblicos, geralmente, eram profetas ou médiuns. E eles recebiam espíritos amigos tidos pelos judeus e cristãos  primitivos como sendo o Espírito do próprio Deus. O nome grego dos médiuns era também “pneumatas” (indivíduos que se envolvem com espíritos). Mas o clero revoltou-se raivosamente contra eles, pois eles tinham mais prestígio do que ele.

E quando foi instituído o dogma do Deus Espírito Santo, os teólogos passaram a ensinar erradamente que era ele que se manifestava, mas somente com o papa e os bispos. Os demais espíritos, segundo eles, eram todos maus e de outra categoria não humana, chamados por eles de demônios. Mas demônios, no Novo Testamento, são espíritos humanos. Esse erro de demônios não serem almas continua a ser ensinado, em pleno século 21, pelos líderes religiosos. E muitos deles sabem que se trata de um erro. Esquecem-se eles de que há, hoje, pessoas que não são líderes religiosos, mas que sabem tanto como eles e até mais sobre Bíblia e teologia. E vemos nisso um erro de orgulho e vaidade do ego dos bispos e teólogos do passado, que se consideravam infalíveis, em concílios ecumênicos, quando só Deus é infalível. E vemos também nisso que os líderes religiosos de hoje insistem em manter esses erros dos seus colegas antigos, a fim de sustentarem a ideia orgulhosa e egoísta de que eles,  como sucessores dos antigos, são igualmente herdeiros da infalibilidade deles.

Mas não os condenemos, pois no nível atual de evolução da Humanidade, todos nós somos, muitas vezes, vítimas desse tipo de orgulho e vaidade oriundos de nosso ego, que é o nosso maior inimigo na busca da nossa perfeição moral e espiritual.

A Igreja afirma hoje que a Bíblia é a palavra de Deus ‘escrita por homens’. Ora, os homens erram! E bastaria apenas um erro encontrado nela, a fim de que seja anulada essa antiga e tradicional tese dos judeus e cristãos de que a Bíblia é, literalmente, a palavra de Deus. Porém, isso não tira dela o mérito de ser o livro mais respeitado da História da Humanidade. E, com essa afirmação, não queremos, de nenhum modo, desmerecer as escrituras sagradas de outras religiões, cujo conteúdo é também de grande importância para a nossa evolução espiritual e moral. E dessas escrituras sagradas de outras religiões, “Bhagavad-Gita” (“Canto do Senhor” ou “Canção Divina”), escrito há milhares de anos, dos “Upanichades”, do Marabarata, do “Evangelho” de Buda, do “Alcorão”, da “Seicho-No-Ie” e da “Codificação” de Kardec, entre outras. Aliás, todos os livros fundamentais das religiões têm uma influência divina, através da inspiração de espíritos santos já perfeitos, pois Deus não faz acepção de pessoas e, portanto, de povos.

Devido à limitação do espaço, vamos apresentar apenas um dos muitos exemplos de que a Bíblia tem erros: Em Mateus 1: 16, Jacó é o avô paterno de Jesus, mas em Lucas 3: 23, é Heli.  Somente essa contradição é o bastante para nos mostrar que, realmente, a Bíblia não é literalmente a palavra de Deus!

PS: “Presença Espírita na Bíblia” com este colunista, na TV Mundo Maior.

Seminários e palestras: (31) 3373-6870 ou jreischaves@gmail.com

José Reis Chaves

“A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência”,

“Quando chega a Verdade” e “A Face Oculta das Religiões.

e-mail: jreischaves@gmail.com

Esta entrada foi publicada em A Família, Artigos, Ciência, Espiritismo, Transição. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *